E disse o Senhor: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores.

Êxodo 3:7-22 (leia aqui)

Durante os longos anos de servidão no “forno de ferro” do Egito (Deuterionômio 4:20), Deus não esteve indiferente aos sofrimentos de Seu povo. Ele relembrou Suas promessas a Abraão (Gênesis 15:13-14), a Isaque (Gênesis 26:3) e a Jacó (Gênesis 46:4). Aproximava-se o tempo em que Ele próprio Se revelaria aos Seus por intermédio de Moisés, como o Deus dos pais deles e, ao mesmo tempo, como o Deus que pensa amorosamente neles com o propósito de libertá-los. É dessa mesma maneira que Ele pode ser conhecido hoje por todos aqueles que gemem sob o peso de seus pecados! O estado de perdição e miséria de Suas criaturas não O deixaram impassível, pois Ele via as aflições de Israel e ouvia seus gritos e suspiros. Mas Deus não Se satisfaz em apenas tomar conhecimento de seu “sofrimento” (v. 7). Ele acrescenta: “Portanto, desci para livrá-lo” (v. 8).

Deus veio até nós em Jesus; é somente através dEle que somos libertados. Será que Deus já completou Sua obra? Não, além disso, Ele quer nos fazer Seu povo, quer que tenhamos um relacionamento com Ele e quer nos enriquecer (v. 22). Deus revelou Seu Nome a Moisés. Ele é o “Eu
sou“, Aquele que preeenche a eternidade com Sua presença. Ele existe, Ele é e todo o mais resulta disso (Isaías 43:11, 13 e 25).