LUZ E VERDADE

Sábado – 22/12/2007

LUZ E VERDADE

Leia:
“[A] luz veio ao mundo, mas os homens amaram as trevas, e não a luz, porque as suas obras eram más.” ?João 3:19

João ?3:19-21

19E é assim que o julgamento é feito: Deus mandou a luz ao mundo, mas as pessoas preferiram a escuridão porque fazem o que é mau. 20Pois todos os que fazem o mal odeiam a luz e fogem dela, para que ninguém veja as coisas más que eles fazem. 21Mas os que vivem de acordo com a verdade procuram a luz, a fim de que possa ser visto claramente que as suas ações são feitas de acordo com a vontade de Deus.

Atores e atrizes do cinema e da TV, assim como apresentadores de programas, sempre são maquiados antes de aparecer diante das câmeras. É que as luzes dos refletores deixam à mostra todos os defeitos da pele, que são ampliados pelas lentes. ?A luz expõe e torna bem visível todas as imperfeições, defeitos, sujeiras, não só do rosto, do corpo, mas de qualquer superfície.?Apesar de Cristo, a perfeita luz, ter vindo ao mundo, as pessoas “amaram as trevas, e não a luz, porque as suas obras eram más”. Pode ser complicado para muitas pessoas deixar a luz de Cristo brilhar em seus corações. A escuridão esconde o que está errado, mas a luz da verdade expõe os erros, as falhas do nosso caráter e mostra a falsidade e os pecados que estão escondidos. Nossos corações podem estar cheios de coisas que preferimos manter na escuridão.?Se nos mantivermos escondidos da luz de Cristo, no entanto, nossa vida não pode ser vista como realmente é, e não podemos nos arrepender nem ser perdoados. Quando examinamos nossas vidas pela luz de Cristo, quando permitimos que a sua verdade brilhe em nossos corações, somos capazes de dar início ao processo de nos tornar no que Deus quer — seres perfeitos sob sua luz!


Pense:
Natal é deixar a luz brilhar em nossos corações, e não apenas nas decorações natalinas.

Ore:
Senhor, pedimos-te que espantes as trevas que reinam em nossos corações. E que a luz de Cristo brilhe em nós para que, por meio do teu Espírito, nos regozijemos na verdade. Em Cristo. Amém.

CRISTO PARA TODOS

Sexta-Feira – 21/12/2007

CRISTO PARA TODOS

Leia:
“[Para] que todo o que nele crer tenha a vida eterna.” ?João 3:15
13Ninguém subiu ao céu, a não ser o Filho do Homem, que desceu do céu.
14– Assim como Moisés, no deserto, levantou a cobra de bronze numa estaca, assim também o Filho do Homem tem de ser levantado, 15para que todos os que crerem nele tenham a vida eterna. 16Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna. 17Pois Deus mandou o seu Filho para salvar o mundo e não para julgá-lo.
João ?3:13-17

O Museu de Ciência de Chicago fez, há alguns anos, por ocasião do Natal, uma exposição de centenas de árvores de Natal representando vários países do mundo. Pendurada em cada árvore havia a bandeira do país e decorações que identificavam suas tradições.?”O Natal é para todo o mundo”. Isso é o significado das palavras do anjo aos pastores na noite do Natal: “Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor.” (Lucas 2:10-11)?Geralmente, as árvores de Natal são pinheiros. Tudo parece ter começado em países onde é inverno no mês de dezembro e todas as árvores, com exceção dos pinheiros que permanecem verdes, perdem suas folhas e parecem mortas. Por isso, os pinheiros simbolizam a vida. Jesus veio, e todo o que nele crer terá vida eterna. ?Podemos decorar a casa com um pinheiro de Natal. A Bíblia utiliza vários símbolos para mostrar verdades espirituais. Jesus é a luz do mundo e a videira. Nós também somos luz e ramos da videira. E quando, em todo o mundo, as pessoas decoram suas árvores de Natal, isto reforça a lembrança de que Cristo veio como luz das nações, trazendo vida eterna.


Pense:
Natal é se unir aos irmãos e irmãs do mundo inteiro, que celebram a vinda de Jesus ao mundo.

Ore:
Pai, graças te damos porque tua salvação é para todos os povos do mundo. Ajuda-nos a celebrar com singeleza e alegria o Natal, lembrando sempre que Jesus Cristo é o centro da comemoração. Amém.

Mas tu, ó Senhor, me conheces, tu me vês, e provas o meu coração para contigo; tira-os como a ovelhas para o matadouro, e separa-os para o dia da matança. Jeremias 12:3mas, assim como fomos aprovados por Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações. 1 Tessalonicenses 2:4

Versículos de hoje

Mas tu, ó SENHOR, me conheces, tu me vês, e provas o meu coração para contigo; arranca-os como as ovelhas para o matadouro, e dedica-os para o dia da matança. Jeremias 12:3

Mas, como fomos aprovados de Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não como para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações. 1 Tessalonicenses 2:4

Um dia Jesus estava orando num certo lugar. Quando acabou de orar, um dos seus discípulos pediu: – Senhor, nos ensine a orar, como João ensinou os discípulos dele.

Lucas 11:1-20

Jesus ensina a orar
Mateus 6.5-15; 7.7-11
1Um dia Jesus estava orando num certo lugar. Quando acabou de orar, um dos seus discípulos pediu:
– Senhor, nos ensine a orar, como João ensinou os discípulos dele.
2Jesus respondeu:
– Quando vocês orarem, digam:

“Pai, que todos reconheçam
que o teu nome é santo.
Venha o teu Reino.
3Dá-nos cada dia o alimento
que precisamos.
4Perdoa os nossos pecados,
pois nós também perdoamos
todos os que nos ofendem.
E não deixes que sejamos tentados.”

5Então Jesus disse aos seus discípulos:
– Imaginem que um de vocês vá à casa de um amigo, à meia-noite, e lhe diga: “Amigo, me empreste três pães. 6É que um amigo meu acaba de chegar de viagem, e eu não tenho nada para lhe oferecer.”
7– E imaginem que o amigo responda lá de dentro: “Não me amole! A porta já está trancada, e eu e os meus filhos estamos deitados. Não posso me levantar para lhe dar os pães.”
8Jesus disse:
– Eu afirmo a vocês que pode ser que ele não se levante porque é amigo dele, mas certamente se levantará por causa da insistência dele e lhe dará tudo o que ele precisar. 9Por isso eu digo: peçam e vocês receberão; procurem e vocês acharão; batam, e a porta será aberta para vocês. 10Porque todos aqueles que pedem recebem; aqueles que procuram acham; e a porta será aberta para quem bate. 11Por acaso algum de vocês será capaz de dar uma cobra ao seu filho, quando ele pede um peixe? 12Ou, se o filho pedir um ovo, vai lhe dar um escorpião? 13Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai, que está no céu, dará o Espírito Santo aos que lhe pedirem!
O poder de Jesus para expulsar demônios
Mateus 12.22-32; Marcos 3.20-30
14Jesus estava expulsando de certo homem um demônio que não o deixava falar. Quando o demônio saiu, o homem começou a falar. A multidão ficou admirada, 15mas alguns disseram:
– É Belzebu, o chefe dos demônios, que dá poder a este homem para expulsar demônios.
16Outros, querendo conseguir alguma prova contra Jesus, pediam que ele fizesse um milagre para mostrar que o seu poder vinha de Deus. 17Mas Jesus, conhecendo os pensamentos deles, disse:
– O país que se divide em grupos que lutam entre si certamente será destruído; a família que se divide em grupos que lutam entre si também será destruída. 18Se o reino de Satanás tem grupos que lutam entre si, como continuará a existir? Vocês dizem que é Belzebu que me dá poder para expulsar demônios. 19Mas, se é assim, quem dá aos seguidores de vocês o poder para expulsar demônios? Assim, os seus próprios seguidores provam que vocês estão completamente enganados. 20Na verdade é pelo poder de Deus que eu expulso demônios, e isso prova que o Reino de Deus já chegou até vocês.

Os discípulos estão impressionados pelo lugar que a oração ocupa na vida de seu Mestre. Façamos como eles: Peçamos ao Senhor que nos ensine a orar. Trata-se de recitar algumas frases decoradas? Pelo contrário, a parábola dos dois amigos nos ensina a expressar cada necessidade de maneira simples e sobretudo precisa: “Amigo, empresta-me três pães…” (v. 5). Talvez seja uma necessidade espiritual que sentimos e que, por assim dizer, bate à porta de nosso coração? Cuidemos para não rejeitá-la; pelo contrário, vamos considerá-la como a “um amigo de viagem” (v. 6). E se não tivermos nada a oferecer-lhe? Então vamos ao Amigo celestial, não precisamos ter medo de perturbá-LO. Deus, em Seu amor, tem prazer em atender a Seus filhos e jamais irá decepcioná-los. Pelo contrário, se em nossa ignorância e falta de sabedoria lhe tivermos pedido “uma pedra”, Ele sabe como transformar a nossa petição em “boas dádivas” (v. 13).

Até que tenha encontrado o Senhor Jesus, o homem é tão mudo para Deus como o endemoniado do versículo 14. Salvo por Cristo, tendo recebido o dom do Espírito Santo (compare v. 13), pode, então, elevar livremente sua voz em louvor e em oração. Façamos uso deste privilégio imenso!

Um mestre da Lei se levantou e, querendo encontrar alguma prova contra Jesus, perguntou: – Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna?

Lucas 10:25-42

25Um mestre da Lei se levantou e, querendo encontrar alguma prova contra Jesus, perguntou:
– Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna?
26Jesus respondeu:
– O que é que as Escrituras Sagradas dizem a respeito disso? E como é que você entende o que elas dizem?
27O homem respondeu:
– “Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com todas as forças e com toda a mente. E ame o seu próximo como você ama a você mesmo.”
28– A sua resposta está certa! – disse Jesus. – Faça isso e você viverá.
29Porém o mestre da Lei, querendo se desculpar, perguntou:
– Mas quem é o meu próximo?
30Jesus respondeu assim:
– Um homem estava descendo de Jerusalém para Jericó. No caminho alguns ladrões o assaltaram, tiraram a sua roupa, bateram nele e o deixaram quase morto. 31Acontece que um sacerdote estava descendo por aquele mesmo caminho. Quando viu o homem, tratou de passar pelo outro lado da estrada. 32Também um levita passou por ali. Olhou e também foi embora pelo outro lado da estrada. 33Mas um samaritano que estava viajando por aquele caminho chegou até ali. Quando viu o homem, ficou com muita pena dele. 34Então chegou perto dele, limpou os seus ferimentos com azeite e vinho e em seguida os enfaixou. Depois disso, o samaritano colocou-o no seu próprio animal e o levou para uma pensão, onde cuidou dele. 35No dia seguinte, entregou duas moedas de prata ao dono da pensão, dizendo:
– Tome conta dele. Quando eu passar por aqui na volta, pagarei o que você gastar a mais com ele.
36Então Jesus perguntou ao mestre da Lei:
– Na sua opinião, qual desses três foi o próximo do homem assaltado?
37– Aquele que o socorreu! – respondeu o mestre da Lei.
E Jesus disse:
– Pois vá e faça a mesma coisa.
Jesus visita Marta e Maria
38Jesus e os seus discípulos continuaram a sua viagem e chegaram a um povoado. Ali uma mulher chamada Marta o recebeu na casa dela. 39Maria, a sua irmã, sentou-se aos pés do Senhor e ficou ouvindo o que ele ensinava. 40Marta estava ocupada com todo o trabalho da casa. Então chegou perto de Jesus e perguntou:
– O senhor não se importa que a minha irmã me deixe sozinha com todo este trabalho? Mande que ela venha me ajudar.
41Aí o Senhor respondeu:
– Marta, Marta, você está agitada e preocupada com muitas coisas, 42mas apenas uma é necessária! Maria escolheu a melhor de todas, e esta ninguém vai tomar dela.

O Senhor Jesus responde à pergunta de um douto da lei com uma contrapergunta que visava atingir sua consciência. Para se esquivar, o doutor da lei tenta restringir o amplo significado da palavra “próximo”. O Senhor lhe ensina que este próximo é em primeiro lugar Ele mesmo, Jesus (v. 36-37), e que seguindo Seu exemplo em amor, o redimido se torna o próximo de todos os seres humanos. Neste pobre homem, roubado e deixado semimorto, temos uma figura do pecador perdido e sem recursos; o sacerdote e o levita nos falam dos vãos recursos da religião; mas no bom Samaritano encontramos o Salvador que se acercou da nossa miséria e nos resgatou de nossa trágica condição. A hospedaria nos faz pensar na Igreja, onde aquele que foi salvo recebe o cuidado apropriado; o hospedeiro, por fim, é uma figura do Espírito Santo, que provê necessário cuidado valendo-Se da Palavra e da oração (os dois denários), temas dos versículos 34-35 e capítulo 11:1-13. Para concluir, o Senhor não disse: “Faze isto (a lei), e viverás” (v. 28), mas “Vai, e procede tu de igual modo” (v. 37).

A cena seguinte acontece numa casa amiga, onde o Senhor Jesus é recebido, servido, escutado e amado. Mas os “muitos serviços” ocupavam de tal modo os pensamentos de Marta, que ela precisou ser repreendida. O coração de Maria, aberto à Sua Palavra, é o que alegrava o coração do Senhor (1 Samuel 15:22).

Ó Deus, tu és o meu Deus; de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água

Sexta-feira – 22 de Dezembro

Ó Deus, tu és o meu Deus; de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água (Salmo 63:1).

PROVAS

Os cristãos também experimentam que o mundo onde vivemos é uma terra seca e árida.

Há vários exemplos: o de um jovem casal, que vê seu filhinho recém-nascido tão desejado ficar enfermo e paralítico.

Uma mulher “em seus melhores anos” até poucos meses atrás era feliz e não se preocupava com nada. Porém, depois de um exame médico rotineiro recebeu uma triste notícia: tem uma doença incurável.

Penso também na quantidade de homens e mulheres que ficaram sem trabalho e não sabem como enfrentar essa dura prova.

Nessas e em outras situações parecidas, Davi, o poeta que compôs o Salmo 63, nos aconselha a voltarmos a Deus, lembrando que Ele é o Deus soberano sobre tudo e todos. Nada que acontece é casual e nada ocorre sem Seu conhecimento. Ele quer nos ajudar. Ele nos presenteia com Seu amor eterno, com Sua graça diária, com a força necessária para suportarmos o que nos impôs. Só temos de permanecer perto dEle para experimentar Seu auxílio (vv. 7-8).

“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia” (Salmo 46:1).

“A minha alma espera somente em Deus; dele vem a minha salvação… A rocha da minha fortaleza e o meu refúgio estão em Deus” (Salmo 62:1, 7).

le=’mso-bidi-font-style:normal’>pessoalmente no Senhor Jesus Cristo. Você então se torna parte desse povo celestial, do qual Deus tem o número exato e completamente atualizado, em Seu “registro de nascimentos”, ou seja, em Seu Livro da Vida. Se você hoje vier ao Senhor Jesus, seu nome será escrito ali. E com jubilosa segurança, você também será capaz de declarar sua descendência. Pois “a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome” (João 1:12).

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Nosso Salvador Jesus Cristo… aboliu a morte. Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus

Quinta-feira – 21 de Dezembro

Nosso Salvador Jesus Cristo… aboliu a morte. Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus (2 Timóteo 1:10; Romanos 8:1).

QUÃO LONGE ESTÁ SEU DESTINO?

Os anos, dias e até os minutos de nossa vida passam diante de nossos olhos, enquanto o tempo que nos resta inexoravelmente diminui. Quanto tempo ainda temos? Jamais saberemos. Porém, isso deveria nos estimular à preparação para o solene encontro com o Juiz, a quem prestaremos contas. Ele próprio nos advertiu: “Prepara-te… para te encontrares com o teu Deus” (Amós 4:12).

Como nos prepararmos para tal ocasião? Podemos antecipá-la confessando diante de Deus que somos pecadores e aceitando Seu perdão. Essa é a salvação que Jesus Cristo obteve para nós por meio de Sua obra na cruz.

Cristãos que genuinamente crêem sabem tanto quanto qualquer outra pessoa quando a vida deles no mundo irá acabar. Mas eles podem enfrentar a morte sem medo, porque já estão preparados. A sentença do julgamento já foi cumprida por outra Pessoa, o Senhor Jesus Cristo. Portanto, a morte perdeu toda sua carga de terror para os crentes. Não é mais uma catástrofe, mas o caminho para um futuro maravilhoso. Não é a perda de todas as preciosidades deste mundo: a morte torna reais as bênçãos celestiais, as quais os cristãos tanto ansiaram em vida.

A morte é o portal que o cristão atravessa para receber a glória eterna, o descanso, a paz e a alegria pura e incessante.

sitando a essa hora da noite? Eu já estou indo dormir. Boa noite, meus amigos!’ E eles sempre iam embora.

Certa noite estava particularmente frio. Exausto, orei: ‘Senhor, envie-me um cobertor ou eu irei congelar até a morte.’ E caí no sono. Eu não senti o frio. Sabe por quê? Quando acordei pela manhã, ainda estava escuro. Eu me mexi, tentei sentar, e foi quando percebi um animal se levantando ao meu lado e desaparecendo entre as árvores. Era um cachorro ou um filhote de lobo? Não sei. Ele passou a noite aconchegado a mim. Quão maravilhoso Deus é! Ele não podia ter me mandado um cobertor mais quentinho que aquele!”

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br