ESPERANÇA

Segunda-Feira – 03/12/2007

ESPERANÇA

Leia:
“A não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus.” Mateus 18:3

Mateus 18:1-5

Quem é o mais importante
Marcos 9.33-37; Lucas 9.46-48
1Naquele momento os discípulos chegaram perto de Jesus e perguntaram:
– Quem é o mais importante no Reino do Céu?
2Jesus chamou uma criança, colocou-a na frente deles 3e disse:
– Eu afirmo a vocês que isto é verdade: se vocês não mudarem de vida e não ficarem iguais às crianças, nunca entrarão no Reino do Céu. 4A pessoa mais importante no Reino do Céu é aquela que se humilha e fica igual a esta criança. 5E aquele que, por ser meu seguidor, receber uma criança como esta estará recebendo a mim.

Com a aproximação do Natal, as crianças ficam agitadas e cheias de esperança. Mas, sejamos sinceros, suas expectativas são, principalmente, pelos presentes que pediram e esperam ganhar. Não é sábio pensar só nas festividades, presentes ou lembranças que iremos ganhar no dia do Natal. Ao contrário, devemos aguardar com grande entusiasmo o momento de celebrar o maior presente que Deus já concedeu à humanidade: Jesus Cristo, seu Filho! Podemos também aguardar ansiosos a volta de Jesus. Esse dia excederá em muito nossas expectativas. Com a aproximação do Natal, vamos preparar nossos corações para receber a Cristo. Vamos lembrar os momentos da nossa infância, quando esperávamos ansiosamente a chegada desta data e adorávamos o bebê recém-nascido. Juntos, podemos resgatar o sentimento gostoso da espera ao nos preparar, com fé e alegria infantis, para a celebração do presente que Deus enviou ao mundo. Jesus Cristo, o Salvador, veio, viveu entre nós, cumpriu seu ministério, morreu pelos nossos pecados e ressuscitou. E hoje reina no céu. Ele nos enche com o seu Espírito Santo, para vivermos com fidelidade até o dia de seu retorno à Terra. Que maravilhosa celebração faremos nesse dia!


Pense:
Natal é a expectativa de que receberemos um presente especial.

Ore:
Pai, ao celebrarmos a tua maravilhosa dádiva, enche nossos corações com a fé dos inocentes. E, enquanto aguardamos a volta de teu Filho, ajuda-nos a ser fiéis. Em nome dele, oramos. Amém.

Ne crains point la frayeur soudaine, ni l’attaque des méchants, quand elle arrivera. Car l’Éternel sera ton espérance, et il gardera ton pied du piège. Provérbios 3:25,26Et ceux qui marchaient devant, et ceux qui suivaient, criaient: Hosanna! béni soit celui qui vient au nom du Seigneur! Marcos 11:9

Versículos de hoje

Não temas o pavor repentino, nem a investida dos perversos quando vier. Porque o SENHOR será a tua esperança; guardará os teus pés de serem capturados. Provérbios 3:25,26

E aqueles que iam adiante, e os que seguiam, clamavam, dizendo: Hosana, bendito o que vem em nome do Senhor; Marcos 11:9

1Certo dia Jesus estava na praia do lago da Galiléia, e a multidão se apertava em volta dele para ouvir a mensagem de Deus.

Lucas 5:1-11

Jesus chama os seus primeiros discípulos
Mateus 4.18-22; Marcos 1.16-20
1Certo dia Jesus estava na praia do lago da Galiléia, e a multidão se apertava em volta dele para ouvir a mensagem de Deus. 2Ele viu dois barcos no lago, perto da praia. Os pescadores tinham saído deles e estavam lavando as redes. 3Jesus entrou num dos barcos, o de Simão, e pediu que ele o afastasse um pouco da praia. Então sentou-se e começou a ensinar a multidão.
4Quando acabou de falar, Jesus disse a Simão:
– Leve o barco para um lugar onde o lago é bem fundo. E então você e os seus companheiros joguem as redes para pescar.
5Simão respondeu:
– Mestre, nós trabalhamos a noite toda e não pescamos nada. Mas, já que o senhor está mandando jogar as redes, eu vou obedecer.
6Quando eles jogaram as redes na água, pescaram tanto peixe, que as redes estavam se rebentando. 7Então fizeram um sinal para os companheiros que estavam no outro barco a fim de que viessem ajudá-los. Eles foram e encheram os dois barcos com tanto peixe, que os barcos quase afundaram. 8Quando Simão Pedro viu o que havia acontecido, ajoelhou-se diante de Jesus e disse:
– Senhor, afaste-se de mim, pois eu sou um pecador!
9Simão e os outros que estavam com ele ficaram admirados com a quantidade de peixes que haviam apanhado. 10Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão, também ficaram muito admirados. Então Jesus disse a Simão:
– Não tenha medo! De agora em diante você vai pescar gente.
11Eles arrastaram os barcos para a praia, deixaram tudo e seguiram Jesus.

Temos aqui o conhecidíssimo relato da pesca milagrosa… e de um acontecimento ainda mais maravilhoso: A conversão de Simão. O que ele fazia enquanto o divino Mestre ensinava às multidões? Lavava as redes sujas do infrutífero trabalho da noite anterior. O Senhor vai obrigá-lo a ouvir. O Senhor pede a Pedro que O “afaste um pouco da praia e, assentando-se, ensina do barco as multidões” reunidas na orla… e, ao mesmo tempo, ao homem que está ao Seu lado. Depois o Senhor ainda fala noutra maneira a Simão e a seus companheiros. Enche suas redes, revelando-Se assim como o Mestre do universo, Aquele que, segundo o Salmo 8:6 e 8, tem domínio sobre os peixes do mar e que tudo pode em situações onde o homem nada pode fazer. Cheio de temor e convencido, pela presença do Senhor, de ser um pecador, Simão prostra-se aos pés de Jesus, dizendo: “Retira-te de mim…” Mas, é possível que o Senhor, cheio de amor, busque o pecador para logo se apartar dele?

Lucas é o único a nos contar este encontro decisivo do Senhor com seu discípulo Pedro. No livro de Atos, ele nos mostra como Pedro se tornou um pescador de homens, sendo ele o instrumento para uma milagrosa “pesca” de quase três mil almas (Atos 2:41).

Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho. Tendo ele, pois, ainda um, seu filho amado, enviou-o também a estes por derradeiro

Domingo – 3 de Dezembro

Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho. Tendo ele, pois, ainda um, seu filho amado, enviou-o também a estes por derradeiro (Gálatas 4:4; Marcos 12:6).

INSONDÁVEL OBRA!

O texto abaixo é o trecho de uma carta escrita no século II D.C., cuja autoria é desconhecida.

“O Deus Todo-poderoso não nos enviou um anjo do céu, mas, sim, Seu próprio Filho, o Criador, o Arquiteto do universo: Ele, que havia estendido os céus, dado ao mar seus limites, e a quem as estrelas obedecem. Ele veio de Deus com a missão de salvar a humanidade. Ele não veio para nos julgar, mas está se aproximando o dia em que Ele será o Juiz, e quem será capaz de suportar sua presença? Esse momento ainda não chegou por causa da imutável longanimidade de Deus.

Em Seu Espírito, Deus concebeu um maravilhoso plano que somente Seu Filho conhece. Ele primeiramente quis mostrar aos seres humanos que não podiam entrar em Seu reino por seus próprios esforços. Em seguida, na plenitude dos tempos, Jesus tomou o fardo de nossos pecados sobre Si e deu Sua vida por resgate de todos nós, o Santo pelos desobedientes, o Perfeito pelos ímpios, o Justo pelos injustos.

Que outra justiça, a não ser a divina, poderia remover a nossa injustiça? Quem, senão o amado Filho de Deus, poderia tornar justo um ímpio e pecador? Insondável obra! Graça que excede todas as nossas expectativas! A culpa de todos os homens e mulheres que viveram e viverão neste mundo carregada por um único Justo, cuja justiça transformou incontáveis culpados em justos.”

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados

3 de Dezembro

“A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.” 1 Coríntios 15.52

Quando Paulo escreve aos tessalonicenses sobre o arrebatamento, ele mesmo se interrompe, embora estivesse sendo inspirado pelo Espírito Santo, a fim de salientar que eram palavras do Senhor: “Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor…” Em seu discurso profético em Mateus 24, o próprio Senhor Jesus menciona 24 acontecimentos como sinais da Sua vinda, por exemplo, guerras, rumores de guerras, etc, sinais esses que são destinados ao povo de Israel. Mas para a Igreja de Jesus só existe um grande sinal pelo qual ela pode reconhecer que o arrebatamento está às portas. E este sinal é Israel! Por isso os conflitos cada vez maiores com Israel são um sinal do breve arrebatamento da Igreja de Jesus. Paralelamente a isso também aumentam as tribulações dos filhos de Deus, nas quais todos nós deveríamos nos tornar cada vez mais perseverantes na fé. Na prática, somos forçados a constatar que, nos últimos tempos, experimentamos um aumento das tentações e tribulações, com situações que há dez anos nem imaginávamos. São tentações que muitas vezes não podemos definir. Elas trarão o juízo sobre o mundo, mas se formos perseverantes e nos afirmarmos nas promessas do Senhor, estaremos sendo preparados para o arrebatamento!

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)

Download gratuito, em MP3, gravada por Cornélio Augusto Bíblia Falada – Eclesiastes

Download gratuito, em MP3, gravada por Cornélio Augusto

untitledg.jpg

 

 Eclesiastes
Título: Emprestado da Septuaginta  Na Bíblia hebraica, é chamado
Kohelet. Embora o significado da palavra seja incerto, tem sido traduzida em
português por “pregador”, ou alguém que dirige uma reunião.
Autor: Indeterminado, ainda que comumente se aceite que tenha sido Salomão,
1:1,2. A julgar pelo que a Bíblia conta sobre sua vida, muitas das experiências
relatadas em Eclesiastes parecem corresponder às desse rei.
Texto-chave: 12:13.
Expressões-chave: “Inutilidade” e “debaixo do sol”, cada uma ocorrendo mais de
25 vezes.
Conteúdo: O livro contém as reflexões e experiências de um filósofo cuja mente
estava em conflito sobre os problemas da vida.
Após discorrer sobre as próprias desilusões, apresenta o enfoque do materialismo —
epicurista não há nada melhor que o gozo carnal dos prazeres da vida.
À medida que essa idéia aparece repetidamente ao longo do livro, é evidente que o
escritor luta contra ela, ao mesmo tempo em que expressa verdades profundas
acerca do dever e das obrigações do homem para com Deus.
Finalmente, parece sair de suas especulações e dúvidas até alcançar a conclusão
nobre de 12:13. “Tema a Deus e obedeça aos seus mandamentos, porque isso é o
essencial para o homem”.
SINOPSE
I. Cap. 1 e 2
1. Introdução
Reflexões sobre a rotina monótona da vida, 1:1-11.
2. A busca de satisfação e felicidade pelo homem natural
a) Não se encontra na aquisição de sabedoria, 1:12-18
b) Não se encontra no prazer mundano, 2:1-3
c) Não se encontra na arte ou na agricultura, 2:4-6
d) Não se encontra nas grandes possessões, 2:7-11
3. Conclusões
a) O sábio é superior ao insensato, 2:12-21
b) Do epicurista. não há nada melhor do que comer, beber e gozar a vida, 2:24-26
II. Cap. 3
O ponto de vista do homem natural acerca da cansativa rotina da vida.
1. Há um tempo para tudo, v. 1-8
2. A conclusão do materialista, v. 13-22
III. Cap. 4
1. O estudo dos males sociais afasta da fé, v. 1-15
2. Conclusão. tudo é sem sentido e inútil, v. 16
IV. Cap. 5
1. Conselhos acerca dos deveres religiosos, v. 1-7
2. A insignificância das riquezas, v. 9-17
3. A conclusão é. comer, beber e gozar a vida, v. 18-20
V. Cap. 6
A falta de sentido de uma vida longa, v. 3-12
VI. Cap. 7
1. Série de ditos sábios, v. 1-24
2. Conclusões acerca da mulher má, v. 25-28
VII. Cap. 8
1. Deveres civis, v. 1-5
2. A incerteza da vida, v. 6-8
3. A certeza do juízo divino e as injustiças da vida, v. 10-14
4. A conclusão epicurista, v. 15
5. A obra de Deus e o homem, v. 16,17
VIII. Cap. 9
1. Coisas similares sucedem aos justos e aos maus; o túmulo é a meta da vida, o
homem é uma criatura de circunstâncias. Conclusão epicurista. “Comamos e
bebamos, porque amanhã morreremos”, v. 1-9
2. A sabedoria é preeminente, ainda que às vezes não seja apreciada, v. 13-18
IX. Cap. 10
Vários ditos sábios, o contraste entre a sabedoria e a insensatez etc.
X. Cap. 11
1. Conselhos acerca da generosidade, v. 1-6
2. Conselhos ao jovem, v. 9,10
XI. Cap. 12
1. Descrição poética da velhice, v. 1-7
2. Últimas palavras do mestre (ou pregador) e conclusão final acerca do dever
primordial do homem, v. 8-14

Vaidade de vaidades, diz o Pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade. Que proveito tem o homem de todo o seu trabalho, com que se afadiga debaixo do sol?” (Ec 1:2,3)

 

Cap 01:  http://www.box.net/shared/vaq18clpyt

 

Cap 02: http://www.box.net/shared/ntb2877q04

 

Cap 03: http://www.box.net/shared/ad1u9bu63o

 

Cap 04: http://www.box.net/shared/suiezxuj5f

 

Cap 05: http://www.box.net/shared/k6hooxsvtu

 

Cap 06: http://www.box.net/shared/e00buff31o

 

Cap 07: http://www.box.net/shared/juaa6feq7i

 

Cap 08: http://www.box.net/shared/pl9ytovcaj

 

Cap 09: http://www.box.net/shared/j5ps9me58h

 

Cap 10: http://www.box.net/shared/dgf4kkll2p

 

Cap 11: http://www.box.net/shared/hlx4dfziyf

 

Cap 12: http://www.box.net/shared/qsjgtg8td4

 

“De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más” (Ec 12:13,14)

ECLESIASTES, LIVRO DE

Livro em que estão registrados os pensamentos do “Sábio” (NTLH; RA e RC, “Pregador”), um homem que meditou profundamente sobre a vida humana, com suas injustiças e decepções, e concluiu que “tudo é vaidade” (NTLH, “ilusão’). Nesse livro fala muitas vezes um cético, isto é, alguém que duvida de tudo. Para ele, Deus está distante, ausente. Deus não acusa esse homem, mas deixa que ele fale dos seus sucessos e insucessos, do seu pessimismo e otimismo, da sua esperança e desespero. Mas esse homem se volta para Deus e descobre verdades consoladoras. O “Sábio” aconselha os jovens a se lembrarem do Criador nos dias da sua mocidade, antes que a morte chegue (12.

7). E no final do livro está a chave que o interpreta: é preciso obedecer a Deus porque ele pede contas de tudo a todas as pessoas (12.13-14).

A vida é ilusão

Monte do templo

São estas as palavras do Sábio, que era filho de Davi e rei em Jerusalém.
É ilusão, é ilusão, diz o Sábio. Tudo é ilusão. A gente gasta a vida trabalhando, se esforçando e afinal que vantagem leva em tudo isso? Pessoas nascem, pessoas morrem, mas o mundo continua sempre o mesmo. O sol continua a nascer, e a se pôr, e volta ao seu lugar para começar tudo outra vez. O vento sopra para o sul, depois para o norte, dá voltas e mais voltas e acaba no mesmo lugar. Todos os rios correm para o mar, porém o mar não fica cheio. A água volta para onde nascem os rios, e tudo começa outra vez. Todas as coisas levam a gente ao cansaço – um cansaço tão grande, que nem dá para contar. Os nossos olhos não se cansam de ver, nem os nossos ouvidos, de ouvir. O que aconteceu antes vai acontecer outra vez. O que foi feito antes será feito novamente. Não há nada de novo neste mundo. Será que existe alguma coisa de que a gente possa dizer: “Veja! Isto nunca aconteceu no mundo”? Não! Tudo já aconteceu antes, bem antes de nós nascermos. Ninguém lembra do que aconteceu no passado; quem vier depois das coisas que vão acontecer no futuro também não vai lembrar delas.
A experiência do Sábio
Eu, o Sábio, fui rei de Israel, em Jerusalém. E resolvi examinar e estudar tudo o que se faz neste mundo. Que serviço cansativo é este que Deus nos deu!
Eu tenho visto tudo o que se faz neste mundo e digo: tudo é ilusão. É tudo como correr atrás do vento. Ninguém pode endireitar o que é torto, nem fazer contas quando faltam os números. E pensei assim: “Eu me tornei um grande homem, muito mais sábio do que todos os que governaram Jerusalém antes de mim. Eu realmente sei o que é a sabedoria e o que é o conhecimento.” Assim, procurei descobrir o que é o conhecimento e a sabedoria, o que é a tolice e a falta de juízo. Mas descobri que isso é o mesmo que correr atrás do vento. Quanto mais sábia é uma pessoa, mais aborrecimentos ela tem; e, quanto mais sabe, mais sofre.