Bíblia Falada II Coríntios Download gratuito, em MP3, gravada por Cornélio Augusto

2Coríntios

Autor: O apóstolo Paulo
Tema principal: Embora pareça oculto, infere-se do texto que Paulo tinha em mente, enquanto escrevia, a pretensão de defender seu apostolado.
Ambas as cartas aos coríntios indicam a existência nessa igreja de alguém que pretendia desacreditar o ministério e a autoridade de Paulo. Percebe-se essa tendência nos textos da
cadeia-chave (v. abaixo).
Conteúdo: É uma das cartas mais pessoais de Paulo, na qual ele fala principalmente de seu ministério e abre o coração, revelando seus motivos, sua paixão espiritual e seu entranhável
amor pela igreja.
Cadeia-chave: 3:1; 5:12; 7:2; 10:2,3; 11:5,6; 12:11; 13:3.
SINOPSE
Não há divisões definidas de pensamento na carta, mas o tema pode ser classificado sob três títulos.
I. As características do ministério do apóstolo
1. Consolador, 1:4-7; 7:7,13
2. Sofrido, 1:5-9; 4:8-12; 5:4; 6:4-10; 7:5; 11:24-28; 12:7-10
3. Sincero, 1:12; 2:17; 4:2; 7:2
4. Constante, 1:17-19; 4:1,16
5. Interessado, 2:3,4; 7:7,8; 11:2,3; 12:20,21
6. Triunfante, 2:14; 4:8,9; 12:10
7. Abnegado, 4:5,11,15; 5:13; 11:7,9
8. O amor a Cristo é o motivo predominante, 4:11; 5:14
9. Espiritual, 4:18; 5:16; 10:4
10. Persuasivo, 5:11,20; 6:1; 10:1,2
11. Reconciliador, 5:19-21
12. Demonstrado em seriedade, nas aflições e nas boas obras, 5:13; 6:4-10; 12:12
13. Autoritário, 10:1-11
14. Auto-sustentado, 11:9 (v. 2262).
II. Exortações e instruções acerca da generosidade, caps. 8 e 9
III. O apostolado de Paulo
1. Desacreditado por alguém da igreja, 10:7-10; 12:11; 13:3
2. Sua autoridade, 2:9; 13:2
3. Autenticado
a) Pelo Senhor, 1:1,21,22; 3:5,6; 4:6
b) Por um sofrimento sem igual pela causa de Cristo, 6:4-10; 11:23-27
c) Pelas revelações maravilhosas que recebeu, 12:1-5
d) Pelas grandes obras que realizou, 12:12
Passagens notáveis
O ministério ideal, 4:1-18.
O triunfo sobre a morte, 5:1-9.
O chamado à separação do mundo, 6:14-18.
A lista dos sofrimentos que Paulo suportou, 11:24-33.

Bíblia Falada – II Coríntios

Download gratuito, em MP3, gravada por Cornélio Augusto

Cap 1: http://www.box.net/shared/qxtrx5vb56

Cap 2: http://www.box.net/shared/5veilpyihg

Cap 3: http://www.box.net/shared/blqjf199az

Cap 4: http://www.box.net/shared/lddfgy2qrk

Cap 5: http://www.box.net/shared/tlrrk39×88

Cap 6: http://www.box.net/shared/haanb02b7e

Cap 7: http://www.box.net/shared/zjjass3vn1

Cap 8: http://www.box.net/shared/f6c33q2n6j

Cap 9: http://www.box.net/shared/bvxn2j9891

Cap 10: http://www.box.net/shared/v897ek542i

Cap 11: http://www.box.net/shared/d1iuqfnons

Cap 12: http://www.box.net/shared/ku0u7xulsk

Cap 13: http://www.box.net/shared/ygfs8ke71p

Últimos conselhos e saudações

II Coríntios 13:1-13

1Esta já é a terceira vez que vou visitá-los. Como dizem as Escrituras Sagradas: “Qualquer acusação precisa ser confirmada pela palavra de pelo menos duas testemunhas.” 2Quero dizer uma coisa a vocês que pecaram no passado e a todos os outros. Durante a minha segunda visita, eu já tinha dito isto e, agora que estou longe, repito: na próxima vez que eu for, não vou ter pena de ninguém. 3Então vocês terão todas as provas que quiserem de que Cristo fala por meio de mim. Quando trata com vocês, Cristo não é fraco; pelo contrário, mostra o seu poder entre vocês. 4Porque, embora tenha sido crucificado em estado de fraqueza, Cristo vive pelo poder de Deus. Assim nós também, unidos com ele, somos fracos; porém, em nossa convivência com vocês, estaremos ligados com o Cristo vivo e teremos o poder de Deus para agir.
5Examinem-se para descobrir se vocês estão firmes na fé. Com certeza vocês sabem que Jesus Cristo está unido com vocês, a não ser que vocês tenham falhado completamente. 6E espero que vocês saibam que nós não temos falhado. 7Oramos a Deus pedindo que vocês não façam nada que seja mau, não para mostrar que nós somos um sucesso, mas para que vocês façam o que é certo. E não importa que fique parecendo que nós falhamos. 8Pois nós não podemos fazer nada contra a verdade, mas somente a favor da verdade. 9Por isso ficamos alegres quando estamos fracos, contanto que vocês estejam fortes. E também oramos para que vocês se tornem mais fortes na fé. 10Escrevo esta carta antes de ir vê-los para que, quando eu for, não tenha de ser tão duro no uso da autoridade que o Senhor me deu. Essa autoridade é para fazer com que vocês cresçam espiritualmente e não para destruí-los.
11E agora, irmãos, até logo. Procurem ser corretos em tudo. Escutem bem o que eu digo. Tenham todos o mesmo modo de pensar e vivam em paz. E o Deus de amor e de paz estará com vocês.
12Cumprimentem uns aos outros com um beijo de irmão.
Todo o povo de Deus manda saudações.
13Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a presença do Espírito Santo estejam com todos vocês!
Anúncios

Bíblia Falada I Coríntios Download gratuito, em MP3, gravada por Cornélio Augusto

1Coríntios
Autor: O apóstolo Paulo
Contexto histórico: A igreja de Corinto foi fundada por Paulo em sua segunda viagem missionária. Essa igreja havia sido contaminada com os males que a rodeavam, pois Corinto era
uma cidade licenciosa. Os gregos estavam orgulhosos de seus conhecimentos e de sua filosofia, mas ao mesmo tempo eram muito imorais. Eram especialmente amantes da oratória.
É evidente que Apolo, judeu cristão eloqüente que chegara a Corinto, havia conquistado a admiração dos cristãos gregos, At 18:24-28.
Esse fato levou-os a fazer comparações entre Apolo, com sua eloqüência e persuasão, e outros líderes religiosos — especialmente com Paulo, cuja aparência física, ao que parece, não
era impressionante (v. 2Co 10:10). Talvez tenha sido essa a causa das divisões na igreja, 1Co 1:11-13.
O desejo de purificar a igreja das facções espirituais e da imoralidade foi o que motivou Paulo a escrever a carta.
Tema principal: A purificação da igreja de falsos conceitos do ministério, de orgulho intelectual, de males sociais e outras irregularidades, caps. 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11.
Cadeia-chave: Os falsos conceitos de ministério, 1:12-17; 3:4-7,21,22; 4:6,7.
SINOPSE
I. A purificação da igreja
1. Saudação, 1:1-9
2. A necessidade de purificar a igreja das divisões parciais, do culto aos homens e do gloriar-se na sabedoria mundana, 1:10-31
3. O ministério exemplar de Paulo
Ele não tentava mostrar sabedoria mundana, simplesmente declarava a sabedoria de Deus em mensagens reveladas pelo Espírito Santo, 2:1-16
4. A disputa por causa dos líderes é sinal de imaturidade e carnalidade, 3:1-8
5. O verdadeiro ministério
O ministro deve ser visto:
a) Como despenseiro da verdade, 3:1,2
b) Como jardineiro, 3:6-8
c) Como colaborador de Deus, 3:9
d) Como formador de caráter, 3:10
e) Como servo confiável, 4:1,2
f) Como sofredor por causa do nome de Cristo, 4:9-13
g) Como exemplo, 4:16,17
h) Como administrador da disciplina, 4:18-21
6. O dever de purificar a igreja
a) Da imoralidade, 5:1-13
b) Das disputas, 6:1-8
c) Os crentes, como membros do corpo de Cristo e templo do Espírito Santo, devem purificar-se de toda sensualidade, 6:9-20
7. A santificação do matrimônio e de todas as relações sexuais e as supremas aspirações da vida espiritual, 7:1-40
8. Os ideais cristãos exigem o sacrifício de certos direitos e privilégios para o bem do ignorante e do fraco (p. ex., comer carne que tenha sido oferecida a ídolos, 8:1-13)
9. O exemplo de Paulo, ao renunciar a certos direitos e liberdades para ganhar as pessoas para Cristo, 9:1-27
10. O exemplo de infidelidade de Israel é uma advertência para a igreja, 10:1-15
11. A comunhão nos elementos da ceia do Senhor requer separação de associações mundanas, 10:16-21
12. A influência cristã deve ser cautelosa quanto a comidas e bebidas, 10:23-33
13. Os costumes sociais devem ser observados quanto às vestes, 11:1-16
14. A purificação da igreja quanto a desordens acerca da ceia do Senhor e a observância devida, 11:17-34
II. Instrução doutrinária e conselhos
1. Acerca da diversidade dos dons espirituais, 12:1-31
2. A preeminência do amor, 13:1-13
3. A preeminência da profecia sobre o dom de línguas e a importância da ordem nas reuniões públicas, 14:1-40
4. A doutrina da ressurreição, 15:1-58
5. Instruções finais e saudações, 16:1-24

Bíblia Falada – I Coríntios


Download gratuito, em MP3, gravada por Cornélio Augusto

“…Cristo morreu pelos nossos pecados, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segu ndo as Escrituras” (I Co 15:3,4)

Cap 1: http://www.box.net/shared/0763upeud7

Cap 2: http://www.box.net/shared/8vzdqfgrx2

Cap 3: http://www.box.net/shared/jt6n17e8l2

Cap 4: http://www.box.net/shared/g6mg44g6su

Cap 5: http://www.box.net/shared/lm6g1o4e9v

Cap 6: http://www.box.net/shared/dt2bspchen

Cap 7: http://www.box.net/shared/sces7vkv1u

Cap 8: http://www.box.net/shared/jyjdgl304t

Cap 9: http://www.box.net/shared/shbcqeg9ml

Cap 10: http://www.box.net/shared/eb9zmpmajf

Cap 11: http://www.box.net/shared/13m1btdsqv

Cap 12: http://www.box.net/shared/ld0cbc5lz6

Cap 13: http://www.box.net/shared/o55hjt3jgb

Cap 14: http://www.box.net/shared/yx4d390jae

Cap 15: http://www.box.net/shared/3krlt2yctr

Cap 16: http://www.box.net/shared/4ux6fk33ka

Palavras finais
13Estejam alertas, fiquem firmes na fé, sejam corajosos, sejam fortes. 14Que tudo o que vocês fizerem seja feito com amor.
15Vocês conhecem Estéfanas e a família dele. Vocês sabem que eles foram os primeiros cristãos convertidos na província da Acaia e que eles têm se dedicado ao serviço do povo de Deus. Peço a vocês, meus irmãos, 16que sigam a orientação deles e dos outros que os ajudam e trabalham com eles.
17Eu estou alegre com a vinda de Estéfanas, de Fortunato e de Acaico, pois eles fizeram o que vocês, por estarem ausentes, não podiam fazer. 18Eles me animaram muito, e sei que animaram vocês também. Gente como essa merece elogios.
19As igrejas da província da Ásia mandam saudações. Áquila e a sua esposa Priscila e a igreja que se reúne na casa deles mandam saudações cristãs a vocês. 20Todos os irmãos daqui mandam saudações.
Cumprimentem uns aos outros com um beijo de irmão.
21Escrevo isto com a minha própria mão: Saudações de Paulo.
22Quem não ama o Senhor, que seja amaldiçoado!
“Marana tá” – Vem, nosso Senhor!
23Que a graça do nosso Senhor Jesus esteja com vocês! 24E que o meu amor esteja com todos vocês, pois estamos unidos com Cristo Jesus!

Bíblia Falada Romanos Download gratuito em MP3Romanos gravada por Cornélio Augusto

Romanos
Autor: O apóstolo Paulo.
Destinatários: Os cristãos romanos, 1:7.
Textos-chave: 1:16; 5:1.
Temas principais: O plano da salvação — a justificação pela fé e a santificação por meio do Espírito Santo (caps. 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11); exortações, principalmente acerca
dos deveres cristãos (caps. 12, 13, 14, 15, 16).
Um argumento poderoso
O apóstolo prova que o ser humano está rodeado de três muros insuperáveis.
1. O muro da culpabilidade universal, caps. 1, 2, 3.
2. O muro das tendências pecaminosas e das concupiscências carnais, 7:15-24.
3. O muro da eleição soberana de Deus, 9:7-18.
Contudo, em meio ao argumento de que é terrível a situação do homem natural, ele acentua as portas da misericórdia divina mediante a provisão do plano de salvação, através das
quais todos os que desejam podem escapar dos iminentes juízos de Deus.
Cadeia-chave: Para mostrar a corrente de pensamento, 1:16; 3:22,23,28; 4:3; 5:1,18; 9:31,32; 10:3,4,6-9.
O desenho mostra os muros de separação e as portas de escape, segundo o argumento do apóstolo.
SINOPSE
I. O plano da salvação
1. Sua necessidade, fundamentada na culpabilidade universal da humanidade
a) Do mundo dos gentios, 1:18—2:16
b) Do mesmo modo os judeus, sob a condenação da Lei, 2:17—3:20
c) Todos são pecadores, 3:23
2. Seu método, justificação ou justiça pela fé, 3:21-28
a) É universal, 3:29,30
b) Honra a Lei, 3:31
3. Ilustrado na vida de Abraão, cap. 4
a) Independente das obras, v. 1-6
b) Independente das ordenanças, v. 9-12
c) Separado da lei, v. 13-25
4. Suas bênçãos tornam-se efetivas por meio do amor de Deus, manifestado no sacrifício de Cristo, 5:1-11
5. Explica o alcance do dom gratuito da salvação, 5:12-21
6. O dom gratuito não estimula a prática do pecado, pelo contrário, requer a crucificação da natureza corrupta do homem e uma vida de serviço santo a Deus, 6:1-23
7. Luta com as tendências pecaminosas e os desejos da carne, cap. 7
Se Paulo se refere às próprias experiências antes ou depois de sua conversão, é uma questão que divide os estudiosos da Bíblia. Todos, entretanto, concordam em que o texto
descreve vividamente o que ocorre no coração humano, 7:7-24.
8. Descrição culminante do plano da salvação, cap. 8
A nova vida espiritual de liberdade e justiça por meio da fé em Cristo. Esse é um dos grandes capítulos espirituais da Bíblia — o Espírito Santo é mencionado dezenove vezes.
9. Parêntese. A grande preocupação de Paulo pelo seu povo, 9:1-5
10. O mistério da eleição divina e o trato de Deus com Israel
a) Privilégios especiais de Israel, 9:4,5 (v. 3:1,2)
b) Distinção entre os descendentes naturais e espirituais de Abraão, 9:6-13
c) O mistério da soberania divina, 9:14-24
d) Os profetas predisseram o fracasso dos judeus em viver de acordo com seus privilégios; o chamado aos gentios e sua aceitação ao plano divino de justificação pela fé, 9:25-33
11. A má interpretação que os judeus fizeram do plano divino resultou na justiça própria, 10:1-3
12. Explicação do plano de salvação pela fé e promulgação de sua aplicabilidade universal, 10:4-18
13. Relacionamento entre Deus e Israel, 10:19—11:12
14. Os gentios são advertidos a não se gabar de seus privilégios e a cuidar para não cair em condenação, 11:13-22
15. Profecia da restauração de Israel e declaração de que os mistérios de Deus são insondáveis, 11:23-36
II. Parte prática
Contém principalmente exortações e instruções acerca dos deveres cristãos, caps. 12, 13, 14, 15, 16.
1. Cap. 12
Esse capítulo apresenta um dos melhores resumos dos deveres cristãos encontrados nas Escrituras. Pode-se obter um estudo mais completo consultando os temas à margem desse
capítulo nesta Bíblia.
2. Cap. 13
a) Deveres cívicos e sociais, v. 1-10
b) O dever de viver na luz, v. 11-14
3. Deveres para com o fraco, 14:1—15:7
a) Não devemos julgá-lo, 14:1-13
b) Devemos ter cuidado em não ofendê-lo, 14:15-23
c) Devemos ajudá-lo, e não agradar a nós mesmos, 15:1-7
4. Pensamentos finais, experiências pessoais e saudações
a) Razões para dar graças da parte dos gentios e a propagação do ministério do apóstolo entre eles, 15:8-21
b) O desejo de Paulo de visitar Roma e suas saudações a vários amigos cristãos, 15:22—16:16
c) Palavras finais e bênção, 16:17-27

Bíblia Falada – Romanos

Download gratuito, em MP3, gravada por Cornélio Augusto

Cap 1: http://www.box.net/shared/b5u2zhr2ly

Cap 2: http://www.box.net/shared/a1c3h7ae71

Cap 3: http://www.box.net/shared/1a9ccjkrm9

Cap 4: http://www.box.net/shared/ig17zuzqi4

Cap 5: http://www.box.net/shared/u8i31ysqy9

Cap 6: http://www.box.net/shared/1ipcb415b4

Cap 7: http://www.box.net/shared/nm111yjm7s

Cap 8: http://www.box.net/shared/jqptmjfv6q

Cap 9: http://www.box.net/shared/hd7hh7g916

Cap 10: http://www.box.net/shared/n2×9j02v4n

Cap 11: http://www.box.net/shared/jb2f70tr3v

Cap 12: http://www.box.net/shared/c8dafev11o

Cap 13: http://www.box.net/shared/vor1ot6ab5

Cap 14: http://www.box.net/shared/z56f4gmebt

Cap 15: http://www.box.net/shared/ztqyi2ydj3

Cap 16: http://www.box.net/shared/khuek4hnaf

Louvor a Deus

Romanos 16:25-27

25Louvemos a Deus! Pois ele pode conservar vocês firmes na fé, de acordo com o evangelho que eu anuncio, isto é, a mensagem a respeito de Jesus Cristo. E de acordo também com a verdade secreta que nunca foi revelada no passado. 26Porém essa verdade foi revelada agora por meio daquilo que os profetas escreveram. E, por ordem do Deus eterno, ela se tornou conhecida em todas as nações, para que todos creiam e obedeçam.
27Ao Deus único e sábio seja dada glória para sempre, por meio de Jesus Cristo! Amém!


Jehová es justo; que yo contra su boca me rebelé. Oid ahora, pueblos todos, y ved mi dolor: Mis vírgenes y mis mancebos fueron en cautiverio. Lamentações 1:18Porque por gracia sois salvos por la fe; y esto no de vosotros, pues es don de Dios: Efésios 2:8

Versículos de hoje

Justo é o SENHOR, pois me rebelei contra o seu mandamento; ouvi, pois, todos os povos, e vede a minha dor; as minhas virgens e os meus jovens foram levados para o cativeiro. Lamentações 1:18

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Efésios 2:8

Amar NOSSOS INIMIGOS

Amar NOSSOS INIMIGOS
Leia:
Mateus 5:43-48

Amar os inimigos
Lucas 6.27-28,32-36
43– Vocês ouviram o que foi dito: “Ame os seus amigos e odeie os seus inimigos.” 44Mas eu lhes digo: amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês, 45para que vocês se tornem filhos do Pai de vocês, que está no céu. Porque ele faz com que o sol brilhe sobre os bons e sobre os maus e dá chuvas tanto para os que fazem o bem como para os que fazem o mal. 46Se vocês amam somente aqueles que os amam, por que esperam que Deus lhes dê alguma recompensa? Até os cobradores de impostos amam as pessoas que os amam! 47Se vocês falam somente com os seus amigos, o que é que estão fazendo de mais? Até os pagãos fazem isso! 48Portanto, sejam perfeitos em amor, assim como é perfeito o Pai de vocês, que está no céu.

Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem… Mateus 5:44

Uma amiga muito querida passou sua infância na Holanda durante a Segunda Guerra Mundial. Sob a ocupação dos nazistas, sua família cristã foi obrigada a hospedar um jovem oficial do exército alemão. Sem dúvida, um hóspede indesejado.Certo dia, o jovem recebeu um pequeno pacote da Alemanha. Ficou tão feliz — sua mãe lhe havia mandado meias de lã! Algo mudou nos corações dos donos da casa. Em meio ao ódio, à morte e ao sofrimento causados pela guerra, eles puderam ver a alma humana em seu inimigo. Convidaram-no para ir com eles à igreja e o incluíram nos cultos domésticos. Naquele pequeno fronte, o amor cristão venceu o ódio da guerra. Jesus enfatiza um mandamento aparentemente impossível de ser cumprido por seres humanos falhos como nós. Ele nos ordena a sermos perfeitos como perfeito é nosso Pai celestial. Jesus coloca diante de nós o amor perfeito, o elevado padrão de Deus que devemos sempre tentar alcançar.Jesus sabe que às vezes somos tentados a ver nossos inimigos como verdadeiros demônios. Mas Ele quer que vejamos humanidade neles, para podermos vencer o mal com a bondade e derrubar o ódio demonstrando amor.
Pense:

Somos chamados para amar não apenas nossos amigos, mas também nossos inimigos.
Ore:
Senhor, sob a clara luz da tua perfeição vemos nossas imperfeições. Enche-nos com o teu Espírito, oramos, para que possamos aprender a amar os outros, inclusive os nossos inimigos!Em nome de Jesus. Amém.

Pouco tempo depois, ajuntou-se outra vez uma grande multidão. Como eles não tinham nada para comer, Jesus chamou os discípulos e disse:

Marcos 8:1-21

Jesus alimenta outra multidão
Mateus 15.32-39
1Pouco tempo depois, ajuntou-se outra vez uma grande multidão. Como eles não tinham nada para comer, Jesus chamou os discípulos e disse:
2– Estou com pena dessa gente porque já faz três dias que eles estão comigo e não têm nada para comer. 3Se eu os mandar para casa com fome, eles vão cair de fraqueza pelo caminho, pois alguns vieram de longe.
4Os discípulos perguntaram:
– Como vamos encontrar, neste lugar deserto, comida que dê para toda essa gente?
5– Quantos pães vocês têm? – perguntou Jesus.
– Sete! – responderam eles.
6Aí Jesus mandou o povo sentar-se no chão. Depois pegou os sete pães e deu graças a Deus. Então os partiu e os entregou aos discípulos, e eles os distribuíram ao povo. 7Eles tinham também alguns peixinhos. Jesus deu graças a Deus por eles e mandou que os discípulos os distribuíssem. 8Todos comeram e ficaram satisfeitos; e os discípulos ainda encheram sete cestos com os pedaços que sobraram. 9As pessoas que comeram eram mais ou menos quatro mil.
Jesus mandou o povo embora, 10e, logo depois, subiu no barco com os seus discípulos, e foi para a região de Dalmanuta.
Os fariseus pedem um milagre
Mateus 12.38-42; 16.1-4; Lucas 11.29-32
11Alguns fariseus chegaram e começaram a falar com Jesus. Eles queriam conseguir alguma prova contra ele e por isso pediram que ele fizesse um milagre para mostrar que o seu poder vinha mesmo de Deus. 12Jesus deu um grande suspiro e disse:
– Por que as pessoas de hoje pedem um milagre? Eu afirmo a vocês que isto é verdade: nenhum milagre será feito para estas pessoas.
13Então Jesus foi embora. Ele subiu no barco e voltou para o lado leste do lago.
O fermento dos fariseus e o fermento de Herodes
Mateus 16.5-12
14Os discípulos haviam esquecido de levar pão e só tinham um pão no barco. 15Jesus chamou a atenção deles, dizendo:
– Fiquem alertas e tomem cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes!
16Aí os discípulos começaram a dizer uns aos outros:
– Ele está dizendo isso porque não temos pão.
17Jesus ouviu o que eles estavam dizendo e perguntou:
– Por que vocês estão discutindo por não terem pão? Vocês não sabem e não entendem o que eu disse? Por que são tão duros para entender as coisas? 18Vocês têm olhos e não enxergam? Têm ouvidos e não escutam? Não lembram 19dos cinco pães que eu parti para cinco mil pessoas? Quantos cestos cheios de pedaços vocês recolheram?
Eles responderam:
– Doze.
20Jesus perguntou outra vez:
– E, quando eu parti os sete pães para quatro mil pessoas, quantos cestos cheios de pedaços vocês recolheram?
Eles responderam:
– Sete.
21Então Jesus perguntou:
– Será que vocês ainda não entendem?

Podemos ter diferentes motivos – mais ou menos louváveis – para fazer o bem. Podemos buscar a consideração dos demais como os fariseus, ou talvez pretendamos aquietar a nossa consciência cumprindo com o nosso dever social. E quantas obras, na cristandade, não têm senão estas motivações! Mas o que constantemente movia o Senhor Jesus era a Sua compaixão por essas multidões, as quais alimenta aqui uma segunda vez num ato de poder (v. 2; 6:34). O nosso contato diário com o mundo – com a sua cobiça e sujidade – pode endurecer-nos. Quando estamos habituados a ver à nossa volta a miséria material, moral e sobretudo espiritual, então nós já não mais sofremos muito com isso. Mas o coração do Senhor Jesus permanecia divinamente sensível. O estado do surdo e gago no capítulo 7:34 O fez suspirar, erguendo os olhos ao céu. Aqui, no versículo 12, é a incredulidade dos fariseus que O faz suspirar profundamente. E, finalmente, a dureza do coração de Seus discípulos também O aflige (vide 6:52; 7:18). Os dois milagres dos quais eles haviam participado não tinham sido suficientes para lhes dar confiança em seu Mestre! (João 14:8-9). Quanto o Senhor sofreu durante a Sua vida aqui na Terra por compaixão, mas também por causa da incredulidade e da ingratidão dos homens… e, às vezes, até daqueles que eram Seus!

Dai, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus

Segunda-feira 29 Outubro

Dai, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus (Mateus 22:21).

O QUE É DE DEUS

Assim como o euro é a moeda de grande parte do continente europeu, na antiguidade existia algo parecido no império romano. O denário circulava em todos os países que tinham sido “pacificados” pelos romanos. É certo que havia moedas regionais, porém o denário era “a moeda do tributo” (Mateus 22:19).

No tempo de Jesus, o povo judeu estava sob o domínio de Roma. A perda da soberania nacional era como um espinho no coração deles. Em relação a isso, os adversários de Jesus quiseram colocá-Lo em dificuldade ao perguntar se era lícito dar tributo a César. Então, o Senhor pediu que Lhe mostrassem a “moeda do tributo”. Tratava-se do denário com a imagem do imperador, um símbolo de seu poder e a reivindicação de sua soberania.

“Dai, pois, a César o que é de César” foi a resposta de Jesus aos fariseus. Depois, o Senhor apontou para Aquele que tem direitos soberanos sobre todo ser humano, pois este foi criado “à imagem e semelhança de Deus”. E agora Jesus nos convida a dar a Deus o que é de Deus. Isso significa que devemos a Ele tudo o que temos e somos.

Não adianta querer negar a soberania de Deus sobre nossa vida. Não existimos por cega casualidade. Deus é o Criador e fomos criados por Ele e para Ele. Submetamo-nos a Seu domínio, porque Seu reino não se caracteriza pela tirania, mas pela justiça e amor. “Ele [Deus] nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor, em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados” (Colossenses 1:13-14).

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br