(H85:10)Hän antaa apunsa niille, jotka häntä palvelevat, ja niin meidän maamme saa takaisin kunniansa. (H85:11)Laupeus ja uskollisuus kohtaavat, oikeus ja rauha suutelevat toisiaan. Salmos 85:9,10Ja pitäkää sitä pelastuksenanne, että Herra on kärsivällinen. Näinhän myös rakas veljemme Paavali on hänelle annetun viisauden mukaisesti teille kirjoittanut. 2 Pedro 3:14

Versículos de hoje

Certamente que a salvação está perto daqueles que o temem, para que a glória habite na nossa terra. A misericórdia e a verdade se encontraram; a justiça e a paz se beijaram. Salmos 85:9,10

Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz. 2 Pedro 3:14

NOSSA PÁSCOA DIÁRIA

NOSSA PÁSCOA DIÁRIA
Leia:
1 Pedro 1:3-9

Esperança no meio das provações
3Louvemos ao Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo! Por causa da sua grande misericórdia, ele nos deu uma nova vida pela ressurreição de Jesus Cristo. Por isso o nosso coração está cheio de uma esperança viva. 4Assim esperamos possuir as ricas bênçãos que Deus guarda para o seu povo. Ele as guarda no céu, onde elas não perdem o valor e não podem se estragar, nem ser destruídas. 5Essas bênçãos são para vocês que, por meio da fé, são guardados pelo poder de Deus para a salvação que está pronta para ser revelada no fim dos tempos.
6Alegrem-se por isso, se bem que agora é possível que vocês fiquem tristes por algum tempo, por causa dos muitos tipos de provações que vocês estão sofrendo. 7Essas provações são para mostrar que a fé que vocês têm é verdadeira. Pois até o ouro, que pode ser destruído, é provado pelo fogo. Da mesma maneira, a fé que vocês têm, que vale muito mais do que o ouro, precisa ser provada para que continue firme. E assim vocês receberão aprovação, glória e honra, no dia em que Jesus Cristo for revelado. 8Vocês o amam, mesmo sem o terem visto, e crêem nele, mesmo que não o estejam vendo agora. Assim vocês se alegram com uma alegria tão grande e gloriosa, que as palavras não podem descrever. 9Vocês têm essa alegria porque estão recebendo a sua salvação, que é o resultado da fé que possuem.

Conforme a sau grande misericórdia, ele nos regenerou para uma esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo… 1 Pedro 1:3

Alex Pospelov, de treze anos, se tornou um dos reféns, quando a sua escola foi invadida por terroristas, na Rússia. Como outros estudantes e professores, ele passou longas horas no chão do ginásio, ameaçado por homens armados. Os reféns estavam com sede, fome e amedrontados. Um terrorista percebeu que Alex, um cristão ortodoxo, usava uma pequena cruz. Ele apontou sua metralhadora para a cruz e ordenou que Alex confessasse Alá. Mas ao invés disso, naquele momento tenso, tudo o que Alex conseguia se lembrar era de uma saudação tradicional da Páscoa: “Cristo ressuscitou!”, apesar de não ser época de Páscoa.Será que percebemos que todo domingo que nos reunimos, celebramos a ressurreição do nosso Senhor? Nas palavras de Pedro, fomos regenerados para “uma esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo”. Esta esperança, nossa herança eterna, nos conforta em meio ao sofrimento. É um fundamento firme da nossa fé salvadora e é mais preciosa do que ouro.Alex pode ter ficado confuso, mas diante da morte ele encontrou as melhores palavras. Seremos lembrados de que o fundamento da nossa esperança viva é mais bem descrita pela saudação antiga: “Cristo ressuscitou!”
Pense:

Nossa caminhada diária de fé não tem sentido se não caminharmos sob a luz da ressurreição de Cristo.

Ore:
Senhor, graças te damos porque nas horas boas assim como nas ruins podemos nos apoiar nesta maravilhosa verdade: Cristo ressuscitou! Em nome dele oramos. Amém.

 
 

 

 
 

Quando Jesus se afastou da multidão e entrou em casa, os seus discípulos lhe perguntaram o que queria dizer essa comparação.

Marcos 7:17-37

17Quando Jesus se afastou da multidão e entrou em casa, os seus discípulos lhe perguntaram o que queria dizer essa comparação. 18Então ele disse:
– Vocês são como os outros; não entendem nada! Aquilo que entra pela boca da pessoa não pode fazê-la ficar impura, 19porque não vai para o coração, mas para o estômago, e depois sai do corpo.
Com isso Jesus quis dizer que todos os tipos de alimento podem ser comidos.
20Ele continuou:
– O que sai da pessoa é o que a faz ficar impura. 21Porque é de dentro, do coração, que vêm os maus pensamentos, a imoralidade sexual, os roubos, os crimes de morte, 22os adultérios, a avareza, as maldades, as mentiras, as imoralidades, a inveja, a calúnia, o orgulho e o falar e agir sem pensar nas conseqüências. 23Tudo isso vem de dentro e faz com que as pessoas fiquem impuras.
A mulher estrangeira
Mateus 15.21-28
24Jesus saiu dali e foi para a região que fica perto da cidade de Tiro. Ele entrou numa casa e não queria que soubessem que estava ali, mas não pôde se esconder. 25Certa mulher, que tinha uma filha que estava dominada por um espírito mau, ouviu falar a respeito de Jesus. Ela veio e se ajoelhou aos pés dele. 26Era estrangeira, de nacionalidade siro-fenícia, e pediu que Jesus expulsasse da sua filha o demônio. 27Mas Jesus lhe disse:
– Deixe que os filhos comam primeiro. Não está certo tirar o pão dos filhos e jogá-lo para os cachorros.
28– Mas, senhor, – respondeu a mulher – até mesmo os cachorrinhos que ficam debaixo da mesa comem as migalhas de pão que as crianças deixam cair.
29Jesus disse:
– Por causa dessa resposta você pode voltar para casa; o demônio já saiu da sua filha.
30Quando a mulher voltou para casa, encontrou a criança deitada na cama; de fato, o demônio tinha saído dela.
Jesus e o surdo-mudo
31Jesus saiu da região que fica perto da cidade de Tiro, passou por Sidom e pela região das Dez Cidades e chegou ao lago da Galiléia. 32Algumas pessoas trouxeram um homem que era surdo e quase não podia falar e pediram a Jesus que pusesse a mão sobre ele. 33Jesus o tirou do meio da multidão e pôs os dedos nos ouvidos dele. Em seguida cuspiu e colocou um pouco da saliva na língua do homem. 34Depois olhou para o céu, deu um suspiro profundo e disse ao homem:
– “Efatá!” (Isto quer dizer: “Abra-se!”)
35E naquele momento os ouvidos do homem se abriram, a sua língua se soltou, e ele começou a falar sem dificuldade. 36Jesus ordenou a todos que não contassem para ninguém o que tinha acontecido; porém, quanto mais ele ordenava, mais eles falavam do que havia acontecido. 37E todas as pessoas que o ouviam ficavam muito admiradas e diziam:
– Tudo o que faz ele faz bem; ele até mesmo faz com que os surdos ouçam e os mudos falem!

O Senhor, que conhece bem o coração do homem e não Se deixa enganar pelas aparências, exorta os discípulos a se manter vigilantes contra tudo o que pode vir dele. Esse coração, amado leitor, também nós o possuímos; mas, glória a Deus, há um remédio para esta condição (Salmo 51:10).

Depois de tão triste constatação, podemos imaginar o gozo que o Senhor Jesus teve ao encontrar esta mulher siro-fenícia. A severidade com que parece tratá-la, à primeira vista, põe em evidência não somente uma grande fé, a qual nada pode desanimar, mas também uma verdadeira humildade, pois, em contraste com os fariseus orgulhosos, esta mulher não faz valer nenhum título nem mérito. Ela reconhece o seu verdadeiro lugar diante de Deus e aceita o juízo apropriado à sua condição (Isaías 57:15).

Logo em seguida, depois de afastar um surdo e gago do meio da multidão, tomando-o à parte, o Senhor Jesus lhe restaura o uso dos sentidos. Quem teria algum direito de intrometer-se neste encontro do Salvador com este homem pobre e aflito? A conversão de um pecador exige um contato direto, pessoal e íntimo com o Senhor (vide 8:23).

A nossa leitura termina com o testemunho a respeito do Senhor Jesus por parte da multidão: “Tudo ele tem feito esplendidamente bem” (v. 37). Que cada um de nós, pensando em todo o seu passado, possa confirmar por sua própria experiência: “Sim, Senhor, tudo tu fizeste esplendidamente bem!”.

No primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles

Domingo 28 Outubro

No primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles (Atos 20:7).

O PRIMEIRO DIA DA SEMANA

Quando os companheiros de trabalho se separam na sexta-feira, frequentemente desejam um bom fim de semana. Talvez alguns pensem de fato no fim de semana, pois não trabalham no sábado. Porém, para a maioria, o conceito de fim de semana engloba também o domingo, pois este é considerado um dia de descanso após uma pesada semana de trabalho.

O versículo de hoje nos mostra o correto. No principio de nossa era, os cristãos consagravam ao seu Senhor o primeiro dia da semana (dominus dies = dia do Senhor, ou seja, domingo). Não se deve confundir esse dia com o dia de descanso, o sábado, em que Deus “descansou no sétimo dia de toda a sua obra” (Gênesis 2:2). O sábado é figura do futuro repouso que Deus quer compartilhar com Seu povo Israel. Mas quando o Senhor Jesus veio à terra, Seu povo O desprezou, e em lugar do descanso do sábado, o Filho de Deus encontrou o “descanso do sepulcro”.

Porém, o dia de Sua ressurreição, o primeiro dia da semana, Jesus Cristo se apresentou em meio aos discípulos, dizendo: “Paz seja convosco”. Dali em diante, eles se reuniram nesse dia para partir o pão e escutar a Palavra de Deus.

Por isso, ainda que tenhamos de aceitar a maneira de contar os dias em nossa época, tanto quanto nos seja possível, devemos empregar a expressão bíblica.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

“Tendo Jesus saído do templo, ia-se retirando… Ele, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra, que não seja derrubada.

28 de Outubro

“Tendo Jesus saído do templo, ia-se retirando… Ele, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra, que não seja derrubada.” Mateus 24.1-2

Ao ouvirem essas palavras, os discípulos de Jesus começaram a se alvoroçar, e uma grande pergunta surgiu no meio deles. Eles estavam preocupados com o futuro. Muitas pessoas, hoje em dia, se preocupam com o futuro. Se quisermos obter conhecimento sobre o porvir, devemos seguir o mesmo caminho que os discípulos: eles se aproximaram de Jesus, a fim de lhe apresentar suas perguntas sobre o futuro, pois Jesus é o Eterno. “Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre.”

Se de fato você questiona o Senhor sobre o futuro, Ele lhe responde através de um grande panorama que parte de Jerusalém, se estende por toda a terra e toda a humanidade, abrangendo o Universo e o mar de estrelas, desembocando novamente em Jerusalém. Isso não é o que acontece justamente em nossos dias? Diga-Lhe tudo o que atormenta e amedronta seu coração em relação ao futuro. Mas não procure entender tudo. Basta que Ele saiba e compreenda tudo! Em relação àquilo que você não consegue compreender, Ele lhe diz: “Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.”

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)