Onť soudí sám okršlek v spravedlnosti, a výpověd činí národům v pravosti. Salmos 9:9A on pozdvih očí svých na učedlníky, pravil: Blahoslavení chudí, nebo vaše jest království Boží. Lucas 6:20

Versículos de hoje

O SENHOR será também um alto refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angústia. Salmos 9:9

E, levantando ele os olhos para os seus discípulos, dizia: Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus. Lucas 6:20.


VASOS DE BARRO

Sábado – 20/10/2007

VASOS DE BARRO
Leia:
2 Coríntios 4:7, 13-15

Temos este tesouro em vasos de barro, para mostar que este poder que a tudo excede provém de Deus… 2 Coríntios 4:7

 

Marina estava feliz ao voltar do hospital, por causa de algo incrível que ela ouvira em seu quarto. Com palavras sinceras e carregadas de emoção, Antônia, uma outra paciente, falou a ela da graça de Deus e de como ela poderia ser curada espiritualmente por Cristo. Antônia convidou Marina a visitar a sua igreja quando saíssem do hospital. Marina mal podia esperar até o domingo! Na igreja, ela entregou sua vida a Jesus. Mais tarde, ela escreveu numa carta: “Quando entrei no hospital, estava tão deprimida. Mas eu aprendi sobre o amor de Cristo e fui encorajada pelo evangelho. Tudo, graças a Antônia, que se importou o suficiente para conversar comigo”. O que levou Antônia a ser uma evangelista tão dedicada? Acredito que tenha sido sua vontade de compartilhar o tesouro do seu coração, o evangelho. Paulo escreveu sobre um tesouro escondido em vasos de barro. No Oriente Médio, era costume guardar jóias e moedas de ouro em tais jarros. Os recipientes tinham uma aparência modesta, mas dentro havia objetos preciosos. Da mesma maneira podemos ter aparência humilde, nosso falar e conhecimento bíblico podem ser imperfeitos, mas apesar da nossa fraqueza e imperfeição, Deus nos chamou para algo grande. E devemos nos lembrar de que o poder está na mensagem e não no mensageiro!

Pense:
Um tesouro só tem valor quando revelado e exposto para que outros o vejam e dele se aproveitem.

Ore:
Nosso Pai, ajuda-nos a falar aos outros da esperança que temos em ti. Que possamos demonstrar por meio das nossas palavras e atitudes teu amor e tua graça. Em nome de Jesus. Amém.

 

Sexta-Feira – 19/10/2007

PALAVRAS EM AÇÃO!
Leia:
1 João 3:16-20

Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade. 1 João 3:18

Por causa do meu programa de rádio muitas vezes recebo cartas ou e-mails dos ouvintes. Nikolai, um fazendeiro e caçador da Sibéria, me enviou pelo correio um bilhete com uma pele de urso! Ele queria doar algo para o ministério, mas não tinha dinheiro. Então mandou a pele do urso que havia caçado recentemente, e nos pediu que a vendêssemos e usássemos o dinheiro para comprar Bíblias para os pobres. Logo passamos a receber outros presentes, como frutas secas e mel, todos enviados por Nikolai. Recentemente, ele passou a nos mandar contribuições em dinheiro e, com cada presente, um bilhete de encorajamento e também algumas críticas ao programa de rádio. Ações falam mais do que palavras. Quando Nikolai escreve bilhetes ou nos manda presentes, sabemos que ele se importa conosco.No dia da minha formatura no seminário, um dos professores nos disse: “Parabéns. Vocês aprenderam muito bem como falar como verdadeiros cristãos! O desafio agora é sempre viver de acordo com suas belas palavras”. Este é um desafio para todos que seguem esta jornada de fé. Agora somos chamados para fazer boas obras como gratidão pela salvação, mostrando amor genuíno por Deus e pelos outros.

Pense:
“Ações falam mais alto que palavras” (Ditado popular)

Ore:
Senhor,Pai amado, queremos honrar teu nome com nossas palavras e viver de acordo com as palavras que falamos, acima de tudo, viver a tua Palavra. Em nome de Jesus. Amém.

E dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra.

Marcos 4:26-41

A parábola dos versículos 26 a 29, que corresponde à parábola do joio no campo em Mateus 13, apresenta aqui um ensinamento um tanto diferente. O aspecto abordado aqui trata apenas do trabalho de Deus, ao passo que, em Mateus, temos também o inimigo operando, e isto por causa da negligência dos homens, que dormiam. Em nosso versículo 27 o grande Semeador também parece dormir. Mas, na realidade, Ele está atento de dia e de noite à Sua preciosa semente, e a cerca dos cuidados necessários para que cresça até o momento da ceifa. Caros amigos cristãos: às vezes pode parecer-nos que o Senhor é indiferente a nós, que não escuta as nossas orações, que Sua obra é uma causa perdida. Mas ergamos os olhos, tal como o Senhor Jesus convida Seus discípulos a fazer pela fé. Os campos já branquejam para a ceifa (João 4:35).

Ao passar para a outra margem o que corresponde à perigosa travessia por este mundo, os discípulos não estão sós. Tinham levado o Senhor no barco, “assim como estava” (v. 36). Quantas pessoas fazem uma imagem distante e equivocada do Senhor Jesus? “Quem é este?” perguntam os discípulos. Ele é a mesma Pessoa que encerrou os ventos nos Seus punhos, que amarrou as águas na sua roupa (Provérbios 30:4). Se Ele está no barco de nossa vida, não temos por que temer o naufrágio.

 

Marcos 4:13-25

O Senhor explica a Seus discípulos a parábola do Semeador. Ela é o ponto de partida de todo o Seu ensinamento (v. 13). Na verdade, para entender este ensinamento, é necessário que o Evangelho tenha primeiramente fixado raízes no coração.

Mesmo que sejamos crentes verdadeiros, devemos acautelar-nos, porque podemos nos assemelhar aos três primeiros terrenos. Pois os esforços de Satanás para arrebatar as boas novas da salvação não se concentram apenas ao primeiro momento em que ela for semeada. Quantas palavras Deus nos tem falado, e o nosso coração ficado insensível porque o nosso contato com o mundo o endureceu, à semelhança do caminho? (vide 6:52). Ou já não temos agido também sob o impulso dos nossos sentimentos, até que uma prova manifeste nossa falta de fé e de dependência do Senhor? (compare v. 17).

Em contraste ao descuido, os muitos cuidados são igualmente nocivos (Lucas 21:34). Juntamente com “a fascinação da riqueza e as demais ambições”, eles (os cuidados) podem não somente sufocar a vida espiritual de um filho de Deus, mas também privar o Senhor do fruto que Lhe deveria render (Tito 3:14). “Atentai no que ouvis”, adverte o Senhor Jesus (v. 24). Em Lucas 8:18, lemos: “Vede, pois, como ouvis”. Sim, como temos acolhido a Palavra divina?

O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará

Sábado 20 Outubro

O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará. (Levítico 6:13).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE LEVÍTICO (Leia Levítico 24:1-23)

Como temos visto, durante o ano havia ocasiões em que os filhos de Israel se reuniam para festas. Deles era exigido apenas que se apresentassem de tempos em tempos. Por outro lado, o serviço a favor deles jamais cessava. As lâmpadas eram mantidas acesas continuamente (v. 3). Quão bom é compreender que, mesmo quando estamos muito ocupados com as questões da vida diária para pensar no céu, mesmo quando nossa comunhão é interrompida, a luz de Cristo, o divino Candeeiro, jamais pára de brilhar com toda a sua intensidade. E sobre o que ela brilha? Sobre os doze pães dispostos na mesa, que representam o povo de Deus em sua totalidade, reunidos em perfeita ordem no santuário.

O episódio do blasfemador e seu castigo nos ensina que, apesar dessa posição privilegiada, a apostasia surgirá entre o povo e terá uma punição terrível. O “nome sobre todo nome” foi blasfemado quando o Filho de Deus que veio a este mundo foi insultado, rejeitado e crucificado. E será novamente no futuro quando o “homem da iniqüidade”, o anticristo, irá opor-se e exaltar-se contra tudo que se chama Deus. O Senhor Jesus o destruirá pelo brilho da manifestação de sua vinda (2 Tessalonicenses 2:4, 8).

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

 

Sexta-feira 19 Outubro

Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus, o qual antes havia prometido pelos seus profetas nas Santas Escrituras, acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne, declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, — Jesus Cristo, nosso Senhor (Romanos 1:1-4).

PROVAS NOTÁVEIS

Após uma pregação do Evangelho, alguém perguntou: — Como posso saber que o Evangelho é de origem divina e não mais uma religião como tantas outras? Os versículos de hoje nos dão duas notáveis provas: uma, o cumprimento das profecias do Antigo Testamento; outra, a ressurreição de Cristo de entre os mortos.

Nas Sagradas Escrituras numerosos eventos que ocorreram muito tempo depois de serem escritos, como a história de Israel, comprova importantes fatos da história mundial. Isso não existe em nenhuma religião. Sobretudo, encontramos o que diz respeito a Jesus Cristo, o Filho de Deus, desde Seu nascimento até Sua ascensão ao céu, como Ele mesmo explicou a dois de Seus discípulos no caminho de Emaús (Lucas 24:47). Várias vezes as profecias se cumpriram precisamente através dos que queriam impedi-las. Assim, a “palavra profética” prova que o próprio Deus havia falado.

A ressurreição de Cristo de entre os mortos também comprova de maneira singular que Ele é realmente o Filho de Deus, a quem glorificou por meio de Sua morte expiatória. Muitas testemunhas oculares confirmaram isso e vários testemunhos públicos ratificaram que Cristo ressuscitou indubitavelmente.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br