Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade

2 de Outubro

“Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade.” 1 João 3.18

Andar no amor não significa nada mais e nada menos do que seguir o Cordeiro para onde quer que vá! Porém, o nosso “eu” não quer isso. Até Pedro, o discípulo mais zeloso e emotivo não queria isso. Ou seja, quando Jesus estava a caminho para o Calvário “Pedro o seguia de longe.” Enquanto respondemos negativamente ao caminho do Cordeiro, enquanto “seguimos de longe”, desviando-nos dos sofrimentos de Cristo, continuamos com nossos porquês tão mesquinhos, e não percebemos que é justamente através dos sofrimentos de Jesus Cristo, no Seu grande amor, que o Deus eterno se comunica conosco.

Mas como o nosso amor a Deus pode se tornar mais íntimo e profundo, de modo que sejamos capazes de seguir o Cordeiro para onde Ele for? Deixando que a grande verdade de Romanos 8.32 trabalhe em nossa vida: “Aquele que não poupou a seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura não nos dará graciosamente com ele todas as cousas?” Esse é o ilimitado amor de Deus, que Ele só pode comunicar por meio do amargo sofrimento e morte do Seu Filho. Este amor gera amor recíproco. E porque Deus de fato nos dá tudo, também experimentamos a realidade de Romanos 5.5: “…o amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo.”

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)

About these ads
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.800 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: