Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder. E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração; e as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te.

Quinta-feira 13 Setembro

Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder. E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração; e as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te.

Filho meu, ouve a instrução de teu pai e não deixes a doutrina de tua mãe (Deuteronômio 6:5-7; Provérbio 1:8).

A FORÇA DO EXEMPLO

Fred, criado em uma família cristã, manifestava pouco interesse pelas coisas de Deus. De repente, esse jovem de 16 anos de idade mudou de atitude. Começou a se sujeitar aos pais, esforçando-se por agradá-los, tendo um novo e visível prazer em falar com eles sobre a Palavra de Deus. Fred havia recebido Jesus como seu Salvador. É fácil imaginar a alegria de seus pais diante de uma resposta tão clara aos desejos e orações deles. Também é compreensível a emoção quando souberam que o filho deles tinha se convertido não como resultado de uma mensagem ouvida em alguma reunião cristã, mas pelo testemunho dado por seus pais. Subitamente Fred se deu conta da maneira como eles viviam e do compromisso que tinham com Deus. Então percebeu que esse era o segredo da felicidade que desfrutavam.

Que alento para os pais cristãos! Os cuidados de uma educação piedosa, as palavras e as advertências podem parecer sem importância para os filhos. Porém, algum dia, esse testemunho dará frutos, os filhos se lembrarão do que lhes foi ensinado e, sobretudo, mostrado. De fato, mais que palavras, a atitude da vida cotidiana, inclusive os dias de dificuldade e provação, e o ambiente da vida familiar deixarão uma impressão indelével.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br