O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará

Sábado 20 Outubro

O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará. (Levítico 6:13).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE LEVÍTICO (Leia Levítico 24:1-23)

Como temos visto, durante o ano havia ocasiões em que os filhos de Israel se reuniam para festas. Deles era exigido apenas que se apresentassem de tempos em tempos. Por outro lado, o serviço a favor deles jamais cessava. As lâmpadas eram mantidas acesas continuamente (v. 3). Quão bom é compreender que, mesmo quando estamos muito ocupados com as questões da vida diária para pensar no céu, mesmo quando nossa comunhão é interrompida, a luz de Cristo, o divino Candeeiro, jamais pára de brilhar com toda a sua intensidade. E sobre o que ela brilha? Sobre os doze pães dispostos na mesa, que representam o povo de Deus em sua totalidade, reunidos em perfeita ordem no santuário.

O episódio do blasfemador e seu castigo nos ensina que, apesar dessa posição privilegiada, a apostasia surgirá entre o povo e terá uma punição terrível. O “nome sobre todo nome” foi blasfemado quando o Filho de Deus que veio a este mundo foi insultado, rejeitado e crucificado. E será novamente no futuro quando o “homem da iniqüidade”, o anticristo, irá opor-se e exaltar-se contra tudo que se chama Deus. O Senhor Jesus o destruirá pelo brilho da manifestação de sua vinda (2 Tessalonicenses 2:4, 8).

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

 

Sexta-feira 19 Outubro

Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus, o qual antes havia prometido pelos seus profetas nas Santas Escrituras, acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne, declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, — Jesus Cristo, nosso Senhor (Romanos 1:1-4).

PROVAS NOTÁVEIS

Após uma pregação do Evangelho, alguém perguntou: — Como posso saber que o Evangelho é de origem divina e não mais uma religião como tantas outras? Os versículos de hoje nos dão duas notáveis provas: uma, o cumprimento das profecias do Antigo Testamento; outra, a ressurreição de Cristo de entre os mortos.

Nas Sagradas Escrituras numerosos eventos que ocorreram muito tempo depois de serem escritos, como a história de Israel, comprova importantes fatos da história mundial. Isso não existe em nenhuma religião. Sobretudo, encontramos o que diz respeito a Jesus Cristo, o Filho de Deus, desde Seu nascimento até Sua ascensão ao céu, como Ele mesmo explicou a dois de Seus discípulos no caminho de Emaús (Lucas 24:47). Várias vezes as profecias se cumpriram precisamente através dos que queriam impedi-las. Assim, a “palavra profética” prova que o próprio Deus havia falado.

A ressurreição de Cristo de entre os mortos também comprova de maneira singular que Ele é realmente o Filho de Deus, a quem glorificou por meio de Sua morte expiatória. Muitas testemunhas oculares confirmaram isso e vários testemunhos públicos ratificaram que Cristo ressuscitou indubitavelmente.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br


 

About these ads

Uma resposta

  1. gostei muito estou começando o meu ministério e estou feliz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 60 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: